30 de ago de 2007

Mares do Sul...


Em deambulações pelo Sul, onde o espaço é feito de Mar,

de taipa e do prazer da Palavra





reencontro o silêncio na fala das gaivotas, na voz do Mar….


























































Nele cheguei à tenda do beduíno Abdul que me ofereceu chá de menta…



















Nele recordei um fim de tarde de Primavera quando o Cônsul de Marrocos me confidenciou que um dia, há muito tempo, estando o Manuel Alegre em Argel, ele José Alberto Alegria e o Francisco Fanhais passaram por Coimbra no dia do aniversário dele e ofereceram uma rosa à mãe de Manuel…


















Dizem que as ilhas é outro mundo…agora sei que é verdade…
... nas ilhas...onde me cruzei com o meu amigo Corto Maltese, navegando nos Mares do Sul, deste Sul próximo, de mares milenares que tão bem conheço desde quando deles fazia um caminho para a Atlântida…
























Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim




Dizem-me que Corto Maltese navega nos mares da incerteza para construir certezas...










Corto Maltese, outsider dos mares, navegando às vezes sob o signo do Capricórnio.
Ele, tal como eu, somos o cavaleiro em busca da Verdade, em busca do Santo Graal… somos um “senhor” sem dono…
...neste Mar de serenidade, Mar de certezas do Caminho e do Percurso, do Objectivo e da Chegada… onde a Palavra é um reflexo da Vida… e não o contrário…



















Um comentário:

Alexandre Pirata disse...

Oi compadre do Mar da Palha!

Tás a aprender umas coisas de fotografia einh!.....
A concorrência está a apertar, tens aqui umas ao Pôr do Sol dignas de publicação, nem que seja no Google Hearth, parabéns.
Como correu o lançamento do livro na festa do Avante?
Amanhã vou lá estar, de manhã estou no pavilhão internacional, na Associação "Iuri Gagárin", aparece lá a beber um copo.
Um abraço.
Alex