16 de ago de 2007

Sol do Sul...



A ida recente a S. Aleixo, o carinho e o respeito que eu senti tanto das gentes simples como pelas palavras afectuosas dos amigos, a revisitação deste meu Alentejo, que é a minha génese e a minha síntese, desses lugares mágicos onde mais recentemente construí, construo o que sou hoje, desse minha pátria com odor a estevas de que não abdico, não abdicarei nunca, porque do meu presente se trata, porque aí reside a construção da felicidade de que não desisto, não desistirei nunca, o que é “tão pouco e tanto”, é “tudo”, fez renascer em mim a esperança, e a força poderosa que em mim por vezes parece adormecida, mas que mesmo nos momentos de maior angústia e sofrimento não me deixa soçobrar, isso que é tudo deu-me este alento: iniciei hoje a redacção da minha tese de doutoramento há tantos meses adiada. Acredito no absoluto, só assim sei viver. Que se desenganem os que me derem por vencido. Mais uma vez parto para o Sul. Mais uma vez como no poema “Viajante”, de que vos deixo um excerto.

Vou (como acontece tantas vezes)
procurar o equilíbrio que o camponês ancestral
(para quem a cidade é apenas uma tenda de beduíno)
só encontra
no remanso quente
da terra-mãe
ao som do silêncio

Voltarei
no meu cavalo de fogo
pleno de vida
rejuvenescido
voltarei
ao teu encontro

Vou percorrer os lugares do Sul. Qual Corto Maltese pela Andaluzia - Huelva, Sevilha, Córdova, Granada… talvez suba até Barcelona e aproveite para visitar a Teatro-Museu Gala Salvador Dalí em Figueres. Sei que deste génio está uma exposição no Palácio do Freixo… mas eu sou um Homem do Sul!...


Um comentário:

Bichodeconta disse...

De STo Aleixo, Veiros e arredores tenho fotos lindas.. Por ai o ar que se respira é 5 estrelas. Um abraço, Ell