14 de dez de 2011

Soneto

Afinal já passou bastante tempo desde o último poste, ao contrário do que previra.
Quero partilhar algo que me enviaram recentemente, pelo meu aniversário. A falta de saúde e a dúvida se devia publicar um soneto que me dedicaram, atrasou a sua publicação. Mas cheguei à conclusão que a autora, a minha querida Amiga Maria Vitória Afonso é mais que merecdora da sua divulgação... para ela um grande e sentido abraço... extensível a todos vós...



Aniversariante na Diáspora


Ao Eduardo


Da Funcheira viajou em criança
Quis apanhar o comboio do futuro
Procurou a cultura com esperança
Deixar o pátrio berço era pois duro.


Dessa terra amada cheia de pujança
Saudoso, então desse Alentejo puro
O honra e divulga com confiança.
Continue a servi-lo, bem lhe auguro


O seu labor não é nada restrito
Dá aulas em Beja, seu distrito
Da região evoca a memória.


A matriz cultural exorta com esmero
Seu sentimento é natural e vero
Do Alentejo assume sua história.




Maria Vitória Afonso