19 de set de 2007

A Harmonia da Luz... "Eu quero toda a luz que o sol me traz quando nos vemos"


No passado domingo respirava-se Paz, serenidade no largo Luís de Camões... fiquei a saborear a energia positiva que pairava no ar... muito mais forte do que a que podia ser a de algumas pessoas que ainda estavam no local ao pôr do Sol... a energia de quem, pelos mais diversos motivos não tinha estado presente, mas mesmo ausente estava presente, unindo a sou voz e a sua postura não-violenta, da negação do falso poder das armas de quem mantem a herança pré-histórica, agora mais sofisticada, mas apenas isso, de querer ser continuar a ser dono do mundo e da Vida, seja dos homens e das mulheres, dos pássaros, dos coelhos, ou de qualquer ser vivo!...




essa energia positiva tão forte e tão bela que de mim se apoderou falou-me do Belo, do sublime que cada homem e cada mulher têm dentro de si quando procuram a Verdade, quando enfrentam o medo - o medo de si próprio; a força suprema do Amor, da Poesia da Vida!...




era de Paz, de Harmonia, não de exclusão, , não de confronto, mas de compreensão com os Irmãos e com as Irmãs que ainda conseguiram enfrentar-se a si próprios e se refugiam no medo - no medo de si próprios, pois afinal a maior cegueira está em quem não quer ver a Luz, a sua Luz e assim não percorrem o caminho que conduz à Felicidade, negando-a a si a quem está fisicamente próximo...


era de Harmonia aquele fim de dia e as pessoas tinham o sorriso da mensagem de Dalai Lama, Luís Vaz, Amante do Amor sorria...


e recordei o livro bonito, que comprei no dia anterior, na Semana da Liga dos Amigos da Mina de S.Domingos, que está a acontecer em Sacavém: Cidades da Água, com poemas de Miguel Rego e pinturas de Manuel Passinhas, amigos, de Mértola...
e a edição mais recente da Alma Alentejana Revista Cultural, agora renovada, há dez anos lançada ao mundo, que com outros amigos fomos artífices da 1ª série...
e recordei o livro apresentado dois dias antes na FNAC de Almada, Sérgio Godinho 55 Canções, o Sérgio que me abraçou no dia 2 de Setembro na Feira da Luz, em Montemor...
do Sérgio vos deixou um poema bonito, um poema de Amor, na voz da Amante, Irmã do Amor...
Quero
querido
sussurar-te um «quero tudo»
ao teu ouvido
Tudo
contudo
é bem pouco para o muito
em que me desnudo
Eu quero
eu queria a lua
eu quero a tua
boca que eu quero tocar
se estou já nua
Eu quero a quimera
quem dera
fosse a de ouro do teu olhar
Eu quero a quimera de ouro
brilhando à luz do teu olhar
Quero
carente
quero o zero
da contagem decrescente
Quebra
limites
leva a mão que te apetece
aos apetites
Eu quero
a lua a vénus
quero ao menos
toda a luz
que o sol me traz
quando nos vemos
Quero
a corola
duma flor que se a desfolho
me consola
Rosas
hortênsias
são viçosas
do teu corpo as aparências
Eu quero pisar luas
quero as tuas
pernas com que as coisas lindas
me habituas
Quero-te

Nenhum comentário: