12 de jul de 2010

Plenamente!...

II


Dois hemisférios
os teus dois seios
Dois hemisférios
as tuas pálpebras
Dois hemisférios
os teus joelhos
Dois hemisférios
as tuas nádegas
Dois hemisférios
as tuas faces
uma de espuma
outra de mármore
Dois hemisférios
essas metades
que estão no fundo
da tua alma
uma de tudo
outra de nada

Ah vasto império
ingovernável
por tantos mundos
a desdobrar-se


X


A luz que vibre
sob o teu rosto


O mar que oscile
sob os teus ombros


O que me atinge
vem de mais longe


lá dos confins
em que te sonho


Vll


Horizonte
de zeros
nebulosos


todos os rostos
que não são
o teu


Um dia
sem ouvir
a tua voz


é como descobrir
que o mar
morreu
 



David Mourão-Ferreira
Os Ramos  Os Remos, Areal Editores, Porto, 1985

5 comentários:

Ava disse...

Não conhecia, mas é realmente fabuloso! Adorei o poema e as fotos.

Abraços, Ava.

mundo azul disse...

________________________________


...bonito! Gostei dos poemas!


Beijos de luz e o meu carinho...


___________________________________

MOISÉS POETA disse...

AMEI ESTAR AQUI !
VOLTAREI SEMPRE , AQUI TEM POESIA DA BOA !

ABRAÇOS !

ValeriaC disse...

Adorei...os versos e as imagens...pleno em sensibilidade...
Beijinhos...
Valéria

Fátima disse...

Muito bom!
Há sensibilidade...fundamental

Beijos meu
Fátima