23 de jun de 2008

Nascimento

Uma Rosa para o Roque e para o Sofia!

Uma Rosa para o Roque…


Chegou com o nascer do Sol. 7 horas e 3 minutos. 3, 530 Kilogramas. Noutras paragens como em Constância – onde a mãe, quase de colo ainda, deixou-se fotografar, abraçada a Luís Vaz – ou em Estremoz, que ele um dia saberá quanto eu gosto – preparavam-se para celebrar o Solstício.




Ele, o Roque, resolveu fazê-lo sozinho, celebrando com a sua chegada, a chegada auspiciosa da Luz, como me dizia hoje o amigo Fanhais, num abraço telefónico.






Poucas horas depois, inquieto pelo leitinho que tardava, agarrou-me um dedo com um tal vigor, e aquele ser frágil e delicado olhou-me com o seu olhazinho de acabado de nascer, como se me quisesse transmitir a sua necessidade, a sua vontade imensa, infinita de ser alimentado, como se me quisesse dizer: - meu velho, eu, como tu, também quero almejar o absoluto.










Depois eu fiz o que tinha a fazer, insisti junto da equipa médica para ele poder ser convenientemente alimentado e, ao fim da tarde, quando voltei, já dormia sereno depois de saborear o leite materno.













Hoje levei rosas para o Roque. Para o Roque e para a Sofia. Roubei rosas para eles e entrei de rompante com duas rosas, quando já não se podia entrar.. .Para o Roque e para a Sofia.
Dei-lhes a minha flor preferida. Rosas vermelhas. As rosas do Amor. Como as rosas que sempre dei a quem dou o meu Amor pleno, total, avassalador. Eu sei que é um Amor diferente, mas … hoje dei rosas ao Roque e à Sofia.
As rosas do Solstício.
As rosas da Luz.






















Eras o primeiro dia inteiro e puro
Banhando os horizontes de louvor.
Eras o espírito a falar em cada linha,
Eras a madrugada em flor
Eras a brisa marinha.
Eras uma vela bebendo o vento dos espaços,
Eras o gesto luminoso de dois braços
Abertos sem limite.
Eras a pureza e a força do mar,
Eras o conhecimento pelo amor.


Sophia

3 comentários:

Alexandre Júlio disse...

Boa noite meu velho!

Já por aqui tinha passado para conhecer o teu sonho de Avô, o Roque com que a Sophia te presenteou, ao surgir do solstício de Verão, é prenúncio de uma longa vida.

Parabéns avô, parabens à Sophia que com este ser tão frágil privou 9 meses, felicidades e que se cumpra o prenúncio.

Passa pelo meu colmeal e prova o petisco que lá te espera.

Espero que já tenhas provado, o nectar doirado que jorrou a toda a velocidade, para a embalagem que te acompanhou na tua passagem pela cresta.

Um abraço, Alex

girassol disse...

Ah Eduardo!...
PARABÉNS!...
A TI e à TUA MENINA que tal presente TE dá, assim todo o TEU AMOR ao receber essa benção que é um novo SER para a VIDA.
Não é fácil mas o AMOR MAIOR, sabemo-lo, faz-se do mais duro e mais difícil VIVER.

Um beijo grande para TI.
Um beijo à TUA Sofia que não conheço pessoalmente e ao Roque.

APETEÇO-LHES TODA A FELICIDADE. COMO PARA MIM. TODA A FELICIDADE QUE POSSAMOS ALCANÇAR É O BEM MAIOR SE COM AMOR. SEMPRE!...

perfumedelaranjeira disse...

Obrigado!
Obrigado Girassol, pelas tuas palavras bonitas!

Tu sabes chamar as coisas pelo nome!
Há que não ter medo de fazê-lo! Mas também sabes que as pessoas têm medo... e a fronteira entre a Verdade e a mentira, a hipocrisia, por vezes é tão frágil, mesmo para quem está perto, ou supostamente perto de nós.
Tenho pena de quem não consegue viver senão na mentira, na hipocrisia, na construção da "imagem" de verniz.
Por isso ainda mais me sensibilizaram as tuas palavras verdadeiras!

Um beijo para ti, Girassol