20 de out de 2007

A partida dos Pássaros



A Poesia do Canto

Cascais – FNAC, dia 17, uma sessão de canto numa (mais uma ) apresentação do Canto de Intervenção 1960-1974, terminando com “Ronda Campaniça”, uma canção de amor ao som da viola daquela (minha) região do Alentejo onde a planície se encontra com a serra, tema do novo disco de amigo, irmão mais velho, Francisco Naia , de Sol a Sul, a sair em breve…

A Poesia da Palavra

Almada, dia seguinte, depois de um breve jantar mas caloroso com Hugo Santos, o mestre da poesia às vezes em prosa mas sempre poesia das secretas vivências da vida nos campos do Sul, tantas vezes na raia, o mestre e amigo Hugo Santos recebia 15 anos depois, de novo o Prémio Literário Cidade de Almada e… de súbito irrompe a voz e o gesto do seu amigo diseur Jorge Lino, fazendo a síntese da palavra, porque a poesia deve ser dita (e cantada) assim para se cumprir plenamente…

E depois será o encontro com o mestre da síntese da civilização da nossa memória, identidade de gentes do Sul, Cláudio Torres, o sábio amigo. Será no próximo mês em Badajoz, no “II Encontro Transfronteiriço de Revistas de Cultura”, onde Portugal se faz representar por Cláudio Torres, Joaquim Saial, o amigo director da Calliopole e este vosso escrita, escravo, “senhor”…. onde também se realiza um recital evocativo de “José Afonso, Adriano Correia de Oliveira e outros cantores de intervenção”, com base no livro referido, que apresento e, na voz plena de Francisco Naia e nas guitarras clássicas de José Carita e também campaniça de Ricardo Fonseca.
E será a redacção da tese… e
…e tempo para intervalo, aqui neste espaço de partilha de paixão pela vida e pela poesia… curto?… longo?… sem regresso?… quem sabe?...

é tempo…



da partida dos pássaros

são tão alegres os pássaros, rodopiam numa dança infinita, extasiados, tão cheios de vida, de contentamento.
felizes e libertos bebem sôfregos abençoados os momentos únicos, plenos, inimagináveis, efémeros, eternos! sublimes!... a felicidade!!!…
os pássaros não se deixam agrilhoar, engaiolar, prender, dominar, domar, pactuar!...
são tão felizes os pássaros!
tão parcos de haveres… tal ânsia de liberdade desmedida, infinita mesmo… liberdade perfumada, apaixonada!...
…e partem!
partem agora que se avizinha o fim das noites amenas
os pássaros partem!
os pássaros partem cheios de paz e harmonia…
o céu é o seu tecto…
o Sol e a luz seus irmãos … de viagem… de chegada…
talvez voltem
com a luminosidade dos campos de papoilas para nelas se banharem, lânguidos, sensuais, se amarem…
Talvez quando as laranjeiras florirem de novo… voluptuosos… apaixonados…no seu perfume…
…ou talvez não… não voltem mais… nunca mais!...
… a sua liberdade não é mensurável… não tem preço!…
São tão felizes
Os pássaros
São livres!
São os pássaros do Sul!...

Nenhum comentário: