21 de dez de 2006

solstício

Sou barco... da taipa e do suão. Em mares do Sul... de Finisterra ao Saara... ao Capricórnio... Sou vento... na subtileza das rosas do deserto ou na oblíqua textura do granito... Corto Maltese?... certamente maltês... na planície ao luar... ao som do rouxinol... soleira da porta... almocreve... tangendo alaúde... na noite escura...

"Quem és tu que assim vens pela noite adiante,
Pisando o luar branco dos caminhos,
Sob o rumor das folhas inspiradas?

A perfeição nasce do eco dos teus passos,
E a tua presença acorda a plenitude
A que as coisas tinham sido destinadas.

A história da noite é um gesto dos teus braços,
O ardor do vento a tua juventude,
E o teu andar é a beleza das estradas!"

Sophia

Sou barco... e neste dia navego, como se fora "o dia inicial inteiro e limpo", ao encontro da luz, solstício, chegada, recomeço, iniciação, reencontro, Vida que ilumina a terra inteira... partilha plena... Amor...

"Iremos juntos sozinhos pela areia
Embalados no dia
Colhendo as algas roxas e os corais
Que na praia deixou a maré cheia.

As palavras que disseres e que eu disser
Serão somente as palavras que há nas coisas
Virás comigo desumanamente
Como vêm as ondas com o vento.

O belo dia liso como um linho
Interminável será sem um defeito
Cheio de imagens e conhecimento."


Sou barco... navego ao teu encontro...
aqui... onde há laranjeiras em flor... espero-te...

aqui onde acontece o cante e o canto também a vós espero amigos... aqui onde as palavras são possíveis... e a poesia é necessária como a textura da cal, convido-vos a partilhar o sonho...

aqui digo um abraço sentido ao amigo cantador do Sul, Chico de seu nome, que nasceu com o Solstício... na estação de Ourique-gare ...

Sou barco... sou mar... sou gaivota... nos versos do capitão!

2 comentários:

Alexandre Pirata disse...

Perfume de Laranjeira

Como é fértil a nossa imaginação.
Cada um pende logo para a sua área.
Talvez seja o 1º a opinar sobre este recente "parto" de solstício!
Por isso não sofri influências de outrém.
Ao ler simplesmente o Título voei de imediato ao encontro das lindas flores da Laranjeira, provei o nectar, senti o seu aroma envolvente, salpiquei-me do seu pólen,....
Foi a queda Apícola a trabalhar.
Cada um terá a sua visão no imediato, expressem-na aqui sem rodeios, naturalmente, sem fantasias, tal como foi a primeira sensação, e veremos como verdadeiramente é fértil a nossa imaginação.
Parabéns ao autor, bem haja e blogue em frente,
Alexandre Pirata

perfume de laranjeira disse...

Obrigado, amigo Alex, pelas palavras e... pelo vôo... talvez as tuas abelinhas provem um pouco deste perfume...
Bom solstício...