3 de mai de 2016

Quando a mãe nos dá um beijo

Quanto é Doce
Quanto é doce quanto é bom
No mundo encontrar alguém
Que nos junte contra o peito
E a quem nós chamemos mãe
Vai-se a tristeza o desgosto
Põe-se a um ponto na tormenta
Quando a mãe nos dá um beijo
Quando a mãe nos acalenta
E embora seja ladrão
Aquele que tenha mãe
Lá tem no meio da luta
Ternos afagos de alguém

                                                                 José Afonso


 Meados dos anos 60, na casa onde nasci, na Funcheira. Sou o menino da direita. Estou frente à minha mãe, Esmeralda. Estou com o meu Amigo - há mais de 50 anos - Mário João e a sua mãe, D. Mariazinha. Ambas já partiram. Certamente onde estiverem olharão com ternura - como sempre o fizeram - para os seus meninos , ambos filhos primogénitos, hoje Homens fraternos e íntegros. Aqui fica a memória de um tempo sereno e eterno... e a Saudade, sempre.

Nenhum comentário: