5 de mai de 2011

"Alentejo Terra da cor dos olhos de quem olha! "

com a devida vénia, transcrevemos do blogue fluirdaterra, esta bela frase e o mágico poema de Miguel Torga "Alentejo", que adoptámos para o programa do VI Passeio Campestre, que este ano realizamos em S. Cristóvão, a 14 de Maio, como já é tradição, no Concelho de Montemor-o-Novo. A frase e o poema aqui destacamos:

“Espreitei a flor do jasmim quando a luz do Sol já serenava. O céu tinha a voz dos pássaros. O perfume das flores ali estava, à espera de pousar na mão aberta.”


(in fluirdaterra.blogspot.com)




Alentejo
A luz que te ilumina,
Terra da cor dos olhos de quem olha!
A paz que se adivinha
Na tua solidão
Que nenhuma mesquinha
Condição
Pode compreender e povoar!
O mistério da tua imensidão
Onde o tempo caminha
Sem chegar!...

                               Miguel Torga
                     (in fluirdaterra.blogspot.com)




5 comentários:

Fatimawine disse...

Olá,

O Alentejo é um mundo à parte.Torga,Régio, Zeca Afonso e tantos outros, encontraram na alma do seu povo, na imensidão da sua paisagem "matéria prima" para os seus poemas e reflexões.
Parabéns por enfatizar essa verdade.

sonho disse...

Adoro o Alentejo...principalmente a sua costa...:)
Beijo d'anjo

MOISÉS POETA disse...

Que maravilha de postagem . a mais pura essência da poesia...

abraços !

maria sousa disse...

Olá,
Para além das já habituais palavras lindas e fortes de "fluirdaterra" e Torga um abraço (atrasado...) de agradecimento pelos momentos únicos de Montemor o Novo.
Se fôr possível, que este abraço se estenda ao meu conterrâneo Carlos Ribeiro.

perfume de laranjeira disse...

Olá
Embora com um mês de atraso, ainda que devidamente justificado, finalmente imagens (e texto) do Passeio Campestre.
Assim que possa, farei chegar o abraço.
Outro para si!

Eduardo